sexta-feira, dezembro 30, 2005

Audição 11 : 27 Dezembro 2005

O ano em discos, discutivelmente discutido por 4 melómanos:

01. Beck : "Farewell Ride" : Guero [2005]
02. Gorillaz : "Last Living Souls" : Demon Days [2005]
03. Animal Collective : "Loch Raven" : Feels [2005]
04. Jens Lekman : "Someone to Share My Life With" : Oh You're So Silent Jens [2005]
05. The Arcade Fire : "Crown of Love" : Funeral [2004]
06. Andrew Bird : "Sovay" : Andrew Bird & The My
sterious Production of Eggs [2005]
07. Franz Ferdin
and : "Fade Together" : You Could Have It So Much Better [2005]
08. The Kills : "Ticket Man" : No Wow [2005]
09. Autolux : "Plantlife" : Future Perfect [2004]


5 discos porque sim:

Autolux : Future Perfect
Low : The Great Destroyer
The Arcade Fire : Funeral
The Kills : No Wow
Ladytron : The Witching Hour


Escolhas de Emanuel Botelho



The Books : Lost And Safe
Beck : Guero
Gorillaz : Demon Days
Autolux : Future Perfect
Animal Collective : Feels


Escolhas de Inês Patrão




Gorillaz : Demon Days
Camille : Le Fil
Super Furry Animals : Love Kraft

Jens Lekman : Oh You're So Silent Jens
Andrew Bird : Andrew Bird & The Mysterious Production of Eggs


Escolhas de João Pedro Sousa


The Kills : No Wow
The Arcade Fire : Funeral
Franz Ferdinand : You Could Have It So Much Better
Autolux : Future Perfect
Fischerspooner : Odissey


Escolhas de João Terêncio



Nota: Imagens meramente indicativas, para a coisa ficar mais bonita, até porque nos propusemos a não hierarquizar os álbuns :) E porque há mais que cinco.

6 Comments:

At terça jan 03, 12:16:00 da tarde 2006, Anonymous Paulo Zé said...

Escolhas, são isso mesmo; de um monte, escolhe-se, neste caso, o que mais nos agradou - emocional e intelectualmente. Não vou por isso, ter uma opinião sobre os discos aqui apresentados, embora, os The Books comecem a intrigar-me, em virtude de terem sido igualmente eleitos pelo Expresso e Wire. Nesta última, eles mencionam que este grupo se inspirou também em "library music", e isso, fascina-me. Considero contudo, que na área pop\rock, hoouve qualidade em maior quantidade comparativamente à da música "rítmicamente orientada". Falta só uma coisa: não é pessoal como vós, e quase todos na RUC, a provocar a crise na indústria discográfica. Talvez fosse altura das "majors" e rádios se interrogarem sobre o produzido e divulgado. Porque afinal, só o lixo é verdadeiramente copiado, os melómanos, têm esse vício de comprarem discos. "I wonder to myself!"
Por experiência própria, afirmo-vos: não é tão difícil assim as pessoas aceitarem a diferença, basta esta ser posta ao mundo com carinho.
Um abraço a esta excelente equipa, e viva a "Alta Fidelidade". Paulo Zé.

 
At terça jan 03, 04:37:00 da tarde 2006, Anonymous João Terêncio said...

Obrigado pelo comentário. é sempre óptimo ver (ler) que há pessoas que conseguem ver para além das abomináveis listas dos 50 (!!!) melhores do ano e filtrar o que realmente importa. Claro que também têm a sua utilidade - nomeadamente na descoberta de possíveis tesouros escondidos.
Apesar disso e tendo feito a minha escolha baseada em discos consistentes do início ao fim (e não aqueles objectos interessantes que semeiam boas pistas aqui e ali) - aqueles que passamos aos amigos que não estão dia sim dia sim à procura da última novidade, esses sim são os que ficam... - não posso deixar de achar que 2005 não foi senão um ano médio (comparativamente com os dois/três anos anteriores então parece-me claramente aquém). Um ano médio feito de muitos discos médios e poucos realmente passíveis de ouvir com gozo para além destes 365 dias.
...e sim também estou curioso para ouvir os The Books (mas já a torcer o nariz:).
Um abraço
João Terêncio

 
At sexta jan 06, 01:13:00 da manhã 2006, Anonymous Inês S. said...

O vosso blog-irmão separado à nascença:

Alta Fidelidade
http://top5records.blogspot.com
(eles sugerem que vocês os convidem para uma emissão do programa)

:)

 
At segunda fev 06, 09:36:00 da manhã 2006, Anonymous spiv said...

Arroios delgados.

 
At quinta fev 09, 12:02:00 da tarde 2006, Anonymous spiv said...

O McCarthy tinha dezassete anos quando beijou uma rapariga pela primeira vez.

 
At quarta fev 15, 11:31:00 da manhã 2006, Anonymous spiv said...

« Convidam os vossos filhos a ambicionar serem idiotas, estão a semear a vossa própria borrasca, cultivando joios doentiamente desprovidos de conteúdo. Estas cizânias crescerão comendo-vos o oxigénio. Podem zombar enquanto o vosso império se desmorona, mas estão a colocar químicos na corrente alimentar. A escuridão prospera. Há perigo. A enfermidade passeia pelos corredores. Precisamos de talentos robustos. »
NOODLE


Em Nova Iorque, após uma versão de «This Must Be the Place (Naive Melody)» o Richard Parry proferiu brandamente «estás cá?» enquanto olhava para o balcão

 

Enviar um comentário

<< Home